Batalhão das Letras

segunda-feira, novembro 20, 2006

5ª Tarefa da webquest



Essa foi a última tarefa do projeto do Centenário de Mário Quintana.
Os sete componentes do grupo, declamaram pedaços de duas poesias que abordavam sobre a temática do tempo,as poesias eram:

O Tempo

O despertador é objeto abjeto.
Nele mora o tempo.
O tempo não pode viver sem nós,para não parar.
E todas as manhãs nos chama freneticamente
como umVelho paralítico a tocar a campainha atroz.
Nósé que vamos empurrando, dia a dia, sua cadeirade rodas !

Nós, os seus escravos.
Só os poetasos amantes os bêbados
podem fugirpor instantesao Velho...
Mas que raiva impotente dá no Velho

quando encontra crianças a brincar de roda
e não há outro jeito senão desviar delas a sua cadeirade rodas!
Porque elas, simplesmente, o ignoram...."

Seiscentos e sessenta e seis

A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6a. feira...
Quando se vê, passaram 60 anos!

Agora, é tarde demais para ser reprovado...
E se me dessem " um dia " uma outra oportunidade,eu nem olhava o relógio.
Seguia sempre em frente...
E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas..."

4ª Tarefa da webquest


Nessa tarefa, fizemos vários marcadores de livros com frases do "Anjo Poeta":

3ª Tarefa da webquest


Nessa tarefa foi feito um cartaz com uma poesia de Mario Quintana:Canção de Primavera:


Canção da Primavera
Mário Quintana

(Para Érico Veríssimo)

Primavera cruza o rio
Cruza o sonho que tu sonhas.
Na cidade adormecida
Primavera vem chegando.

Catavento enloqueceu,
Ficou girando, girando.
Em torno do catavento
Dancemos todos em bando.

Dancemos todos, dancemos,
Amadas, Mortos, Amigos,
Dancemos todos até
Não mais saber-se o motivo...

Até que as paineiras tenham
Por sobre os muros florido!